Qual a diferença entre DOC e TED?

Uma das atividades mais comuns de quem possui conta em banco é fazer transferências de dinheiro para outras pessoas. Mas quando a transferência envolve a movimentação de recursos entre bancos diferentes, logo surge a dúvida: é melhor enviar por meio de um TED ou de um DOC?

Para fazer a escolha mais adequada à sua necessidade, é necessário entender a diferença entre essas duas operações bancárias. Continue a leitura e não tenha mais dúvidas!

Como funciona um DOC?

DOC é sigla para Documento de Ordem de Crédito. Com ele, o cliente consegue transferir valores de até R$ 4.999,99. Por outro lado, não é exigido um valor mínimo para que a transferência seja efetivada.

O dinheiro transferido por DOC fica disponível para o destinatário no primeiro dia útil seguinte. Ou seja, no caso de um DOC feito na sexta, o dinheiro será liberado apenas na segunda. 

Para que esse prazo seja respeitado, a operação precisa ser feita até às 21h59 de um dia útil. Assim, se a transferência for feita às 23 horas de uma quinta, o recebedor só terá acesso aos valores na segunda-feira.

Na hora de enviar um DOC é preciso ter em mãos o nome e código do banco, a agência, o número da conta (corrente ou poupança), nome completo e CPF ou CPNJ de quem vai receber o dinheiro. Dados incorretos impossibilitam a transferência do dinheiro.

Como funciona um TED?

TED significa Transferência Eletrônica Disponível. Logo de cara, o TED já se diferencia por não impor limites de valores. O interessado pode enviar a quantia que quiser, sem qualquer restrição.

Outra diferença é a agilidade. Se a transferência for efetuada até às 17 horas de um dia útil, o dinheiro fica disponível para o recebedor em poucos minutos. Caso esse horário seja extrapolado, o depósito é efetuado no próximo dia útil.

As informações solicitadas para enviar um TED são as mesmas necessárias para fazer um DOC, que já foram listadas acima.

Qual o custo de cada operação?

O preço de DOCs e TEDs é livre, de modo que cada banco pode cobrar o valor desejado. A maioria deles costuma trabalhar com preços que variam de acordo com o pacote de serviços contratado pelo cliente. Pacotes mais caros costumam oferecer um limite de transferências gratuitas. Já nos mais baratos, cada operação é cobrada de forma avulsa.

Há também diferenças entre os preços cobrados por operações feitas em canais de autoatendimento (caixas eletrônicos e internet) e presencialmente. Para comparar as tarifas cobradas e ver quanto seu banco cobra por esse serviço, acesse o site da FEBRABAN (Federação Brasileira de Bancos).

Por fim, vale ficar de olho nos serviços de bancos digitais e fintechs, já que algumas dessas empresas oferecem transferências ilimitadas com custo reduzido ou mesmo gratuitamente.

Quais as diferenças principais?

Algumas das diferenças entre DOC e TED já foram mencionadas ao longo do texto, mas vamos recapitulá-las. Um DOC tem limite de até R$ 4.999,99 e o dinheiro é creditado no dia útil seguinte. Já o TED não tem limite de valor e o dinheiro fica disponível em instantes, desde que a operação seja concluída antes das 17 horas de um dia útil.

Outra diferença está na possibilidade de cancelamento: o DOC permite que a transferência seja cancelada, se o pedido for feito antes de o dinheiro cair na conta do destinatário. No TED, isso é impossível. Alguns bancos não permitem que DOCs sejam efetuados se o destino for uma conta poupança. Nesses cenários, a única opção são os TEDs.

Como você viu, entender as diferenças entre DOC e TED é bem simples. Ambas opções são práticas e seguras para quem precisa transferir dinheiro. Basta analisar as particularidades e ver a alternativa que contempla suas necessidades.

Você também pode gostar…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *