Tudo que você precisa saber sobre juros de empréstimos

Prestações com valores que chegam a casas decimais, valores mensais que levam praticamente todo seu salário e endividamentos sem precedentes fazem parte da sua vida? Sabia que é possível sair dessa situação de forma agradável?

Sempre nos encontramos rodeados de pessoas falando de empréstimos que pegaram, dos juros que eles acarretaram e suas vantagens e desvantagens a longo prazo. Fizemos este artigo para falar sobre o funcionamento dos juros de empréstimos, bem como algumas formas de diminuí-los. Continue a leitura e saiba mais sobre o assunto.

Como funcionam os juros de empréstimos?

Empréstimos pessoais são geralmente caracterizados por não conterem tanta burocracia ou condições para que a pessoa consiga o crédito. Por isso, atualmente são considerados um dos que possuem maior taxa de juros.

Entretanto, é possível adquirir mais empréstimos mesmo estando negativado, sendo, portanto, um dos principais motivos do alto endividamento do brasileiro atualmente. Como geralmente o valor depende da renda e da credibilidade do cliente, isso acaba deixando uma brecha para os bancos e agências estabelecerem valores muitas vezes abusivos.

De que forma são calculados e estipulados?

Comumente, um empréstimo é parcelado em até 48 vezes (que podem coincidir com os meses ou não, dependendo da adimplência do devedor). Por isso, fique sempre atento às prestações propostas. É importante fazer pesquisas para tirar dúvidas sobre juros de empréstimos antes de fechar qualquer negociação.

Podem ser cobradas taxas de juros entre 1% e 23% aproximadamente. Isso vai depender de quem estará estabelecendo os juros de empréstimo.

Lojas e financeiras são as que possuem os maiores percentuais, por geralmente não pedirem comprovantes de renda ou documentação semelhante antes de conceder o crédito. Já nos bancos será onde você vai obter as taxas mais baixas de juros. É preciso analisar as condições de diferentes instituições para avaliar qual é a melhor opção em seu caso.

Existem maneiras de conseguir melhores taxas de juros?

Independentemente da situação em que se encontre, entenda que a melhor forma de sair dela é tentando quitá-la sem recorrer a essa opção, pois as taxas de juros sempre são altas e é provável que acabe pagando mais do que deveria por isso.

Porém, considerando que já está nela, vamos ver quais as modalidades que possuem as menores taxas de juros. Você pode conferir também como e quais são as melhores formas de fazer um empréstimo.

1. Crédito Consignado

Este é um modelo indicado por especialistas por conter as menores taxas de juros e as parcelas serem descontadas diretamente da folha de pagamento do devedor. Com isso, o credor possui uma segurança muito maior de adimplência. O único problema está no fato de que somente aposentados e pensionistas do INSS, servidores públicos e empregados de empresas privadas que possuem convênio com bancos conseguem esse empréstimo.

2. Refinanciamento imobiliário

Nesta modalidade, o que se oferece é o próprio imóvel como garantia de empréstimo. Desta forma, banco tem uma segurança em relação à quitação da dívida. Saiba mais sobre seus direitos e deveres a respeito.

Quais os benefícios de antecipar uma parcela ou quitar previamente?

Tomar essa atitude pode ser benéfico para o devedor por motivos diversos. Mas lembre-se de que o saldo a ser liquidado vai variar de acordo com a instituição financeira que está lhe cobrando, podendo até exigir quantias prévias do montante total da dívida.

O fator principal é a interrupção da cobrança de juros, pois, como já foi dito, suas taxas podem aumentar o valor das parcelas em até 20%. Fica a sugestão de tentar pagá-las o quanto antes.

Conseguiu entender como funcionam os juros de empréstimos? Sua opinião é muito importante para nós e pode ajudar mais pessoas. Então, se você tem mais sugestões e novidades sobre o assunto, deixe um comentário.

Você também pode gostar…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *